As regras da Atracção

julho 28, 2013

Eram quase quatro da manhã, de sexta-feira quando terminei de ler o livro As regras da Atracção de Bret Easton Ellis. No dia mundial do livro, encontrei imensos livros nos bancos do comboio e achei por bem, que podia ficar com um, nesse momento não olhei a títulos, apenas peguei no livro de capa preta e que em maior número havia. Não era um livro que desejava ler e, quando o abri a meio, a primeira palavra que li foi um palavrão. Foi assim que comecei a ler este livro, pelo meio, lia uma página e andava umas quantas para a frente, depois lia mais uma e avançava, outra vez, mais um molhe de páginas para a frente, até que uma espécie de curiosidade fez-me abrir o livro na primeira página, queria saber quem eram a Lauren, o Paul e o Sean, ou não, na verdade queria entender o que eram uns dos outros.

as regras da atração Bret Easton Ellis book
Uma das coisas que me chamou logo à atenção, no livro, foi o facto de estar escrito na primeira pessoa, por cada um dos personagens, ou seja, cerca de dez jovens relatam as suas vidas na primeira pessoa, o que muitas vezes pedia que determinado momento fosse repetido, dando ao leitor várias visões do mesmo acontecimento ou até mesmo duas versões da mesma conversa. Outra coisa que achei logo curiosa foi o início «e é uma história que é capaz de te chatear, mas não és obrigado a ouvi-la», nunca tinha lido um livro que começasse nem por "e" nem em minúsculas - a sério que achei interessante. A história começa no Outono de 1985 desenrolando se até ao final do ano escolar, e remete-nos para um mundo de jovens pansexualistas entregues ao álcool, à droga e ao sexo ocasional. Jovens ricos completamente deprimidos, depravados e sem qualquer tipo de limites ou regras, movidos pelo desejo e pelo receio de acabar a noite de Sexta-feira sozinhos. Numa sociedade vazia embora cheia de aparências onde temas polémicos são abordados com uma leviandade perturbadora. 

«Lauren (...) Ando agora com o Franklin. A Judy não se importa. Anda a sair com o Steve, o caloiro. O Steve também não se importa. Estive a foder com ele na noite em que fui a Williamstown. Eu não me importo; é tudo uma grande chatice pegada. (...) Assim, depois de ter deixado o recado no cacifo do tipo, vou com com o Franklin ao The Pub e ficamos um pouco toldados. O Franklin explicou-me o simbolismo do livro Cujo e depois fomos para o meu quarto. Não recebi correio do Victor. Vêm-me à cabeça que ele possa ter morrido. (...) Já não pinto há mais de uma semana. Se o Victor não telefonar, vou mudar de curso

Em 2002 o livro foi, por Roger Avary, adaptado ao cinema, originado um filme com carácter de comédia, drama e romance e pelo que vi do trailer perde a profundidade, a degradação e o desespero da obra. Escrito num calão quase ofensivo, aos mais sensíveis, o romance não entra no meu género literário, mas confesso, deu que pensar.

You Might Also Like

10 comentários

  1. Não isso ainda não sei, tive a fazer o estudo da minha boca para o dentista ir fazer as medidas e isso, agora dia 5 é que vou saber...

    ResponderEliminar
  2. é então um livro sobre a sociedade levada ao extremo

    ResponderEliminar
  3. No dia do Livro andavam a distribuir livros nos comboios, mas eu não apanhei nenhum :(

    ResponderEliminar
  4. Gosto deste género de livros contados na primeira pessoa. Ficamos com a história completa e com todas as versões dela.
    Fiquei com curiosidade de o ler.

    ResponderEliminar
  5. até parece ser um livro interessante, por acaso desconhecia :)

    ResponderEliminar
  6. Love your blog! Maybe we could follow each other on bloglovin or GFC? Please leave me a comment or follow me and I will follow you =)

    http://www.facebook.com/pages/Le-Petit-Plastique/473640259360447

    http://lepetitplastique.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  7. R: Isso normalmente vai pela casa toda... até porque nenhuma divisão é completamente fechada.

    ResponderEliminar
  8. Parece ser interessante pelo excerto mas não acho que seja o meu género.
    Os livros são SEMPRE melhores :D

    ResponderEliminar

Subscribe